Ubuntu

11 junho, 2008

ao som do álbum LIE: the Love and Terror Cult, do Charles Manson (sim, o próprio)

Já há algum tempo eu uso o sistema operacional Ubuntu Linux, porém foi só agora que resolvi escrever minhas impressões sobre o sistema. A comunidade discordiana, no geral, utiliza bastante o Linux, e o Ubuntu em especial é muito bem suportado e conhecido.

Introdução

O Ubuntu é uma distribuição do Linux suportado por uma empresa chamada Canonical, de onde a maioria das modificações, atualizações e etc. para o sistema saem. Tem um valor muito grande pelo mundo, já sendo usada em diversas escolas, universidades, empresas, e por aí vai.

Por ter o código aberto, o Ubuntu evolui rapidamente, tendo umas duas versões novas por ano. Isso permite que diversos problemas sejam solucionados, novas funcionalidades adicionadas, modificações feitas com uma velocidade muito superior à dos softwares proprietários, que possuem o código-fonte protegido sob a fortaleza coorporativa que é dono dele.

Coisas boas

O Ubuntu é bastante amigável, desde o começo. A primeira vez que rodei o Live CD do Ubuntu 7.10 no meu notebook (um Toshiba Satellite A135-S4637), ele identificou que o fabricante de minha bateria havia feito recall dela, e que eu poderia estar em risco (e ainda estou, já que não fui atrás do recall), algo que o Windows Vista nunca havia feito.

Além disso, é visualmente bonito e leve, e ainda assim possui muito mais recursos gráficos que o ambiente gráfico do Windows, por exemplo. A instalação é extremamente simples, e faz tudo para você. Criei uma partição para o Ubuntu sem problemas e sem a necessidade de formatar o HD (já notaram que HD lembra um emoction?).

Após instalado, as atualizações foram feitas, programas eu baixei com uma rapidez fantástica e facilidade idem. Na internet existe a solução para quase todos os problemas que possam surgir, e, acredite, eles VÃO surgir. Num certo sentido, isso é bom, pois você acaba se acostumando com os comandos no Terminal, que é o modo não-gráfico de dar comandos e fazer coisas no Ubuntu (estou tentando dar uma explicação para os bem leigos, de modo que ela não corresponde inteiramente à realidade).

O sistema também é bastante seguro. Para instalar pacotes (que podem ser desde programas até as atualizações, ou ainda funcionalidades à parte) o sistema pede a senha do administrador. Para modificar arquivos do sistema também, e isso só pode ser feito a partir do Terminal. Como um amigo blogueiro disse, é um sistema operacional contra idiotas.

Tudo acontece muito rapidamente no Ubuntu. Os programas abrem rapidamente, as atualizações são instaladas rapidamente, os programas, as configurações. Em pouco mais de duas horas você está usando o Ubuntu como se sempre houvesse usado ele na vida. A maioria dos atalhos são parecidos com os do Windows (talvez o motivo seja que os atalhos do Windows tenham sido copiados de algum lugar, que por sua vez foram copiados de outro, e por aí vai), e tudo é costumizável. Praticamente tudo, mas principalmente aquilo que se refere ao visual.

O ruim

Como eu disse mais acima, os problemas VÃO surgir. Porém, a maioria deles é resolvido em pouquíssimo tempo – basta fazer umas consultas no fórum brasileiro, no Google, ou, mais raramente, no fórum gringo. Porém, infelizmente, existem problemas que parece que só são resolvidos com atualizações ou novas versões do sistema.

A maioria desses problemas que ficam por muito tempo insolúveis é de hardware. Vou citar alguns exemplos meus. A primeira versão do Ubuntu que instalei foi a 7.10, e nela a placa de rede wireless não funcionava de jeito algum. Quando atualizei para a nova versão, a placa foi reconhecida instantaneamente, por meio dos “drivers restritos”, drivers proprietários que o Ubuntu usa por falta de drivers de código-fonte aberto.

Porém eu ainda tenho problemas. Sempre tive esses problemas, aliás. Com o som e o vídeo. A minha placa de som foi indevidamente reconhecida, pois não reconhece quando eu plugo o headphone na entrada frontal – o som continua a sair pelas caixas de som, e o fone fica mudo. Outras pessoas reclamam que o som sai pelo fone E pelos alto-falantes, o que também é irritante.

Algumas vezes, quando vou tocar algum filme, o tocador simplesmente trava, por algum motivo macabro. Outras, o vídeo dá alguns problemas, e tenho que reiniciar o notebook. Outras, e mais freqüentes, tudo corre bem.

Mas o grande problema, que muita gente tem, é o flash. Vídeos do YouTube, por exemplo, rodam de um jeito muito estranho (algumas vezes acelerado), e o som inexiste. E procurei em muitos lugares como arrumar, tentei diversas coisas, e nada funcionou.

Também sinto falta de algum programa similar ao Photoshop. Muita gente fala bem do GIMP, mas eu achei ele, particularmente, horrível, principalmente no que se refere à tipografia. Também é difícil aprender a usar um software novo, ainda mais quando este é mais limitado que o antigo.

Ou seja, os problemas do Ubuntu, em sua maioria, e pelo menos comigo, são relacionados à reprodução de vídeo e áudio, conteúdo multimídia, resumidamente, e algumas incompatibilidades de hardware não tão difícieis de resolver. Nada que vá me fazer parar de usar o Ubuntu, mas coisas que ainda me fazem manter o Windows lado a lado do Linux.

Conclusão

O Ubuntu, e as várias distribuições do Linux, em geral, ainda exigem do usuário que quer manter sua máquina rodando tudo perfeitamente alguma malícia, jeito para a pesquisa, certa paciência e algum conhecimento de informática.

Por possuir uma estabilidade absurda, recomendo o Ubuntu para aqueles que trabalham bastante com o computador; mas se você faz do seu computador um centro de entretenimento, ou seja, assiste filmes, usa-o para tocar música para a casa toda, e joga, recomendo no mínimo um dual-boot – o que significa “mantenha o Windows por enquanto”.

Por enquanto.

Anúncios

3 Responses to “Ubuntu”


  1. Booa análise 😉

    Quanto ao flash, ele era realmente bem ruim mas essa última versão + o firefox 3 funcionam que é uma diliça 😉

  2. Santaum Says:

    Então, como falou muito bem, o Ubuntu tem altos e baixos. Ao meu ver (também é gramaticamente correto dizer “a meu ver” segundo a norma culta), tem mais altos do que baixos. E é como você falou Eberaldo, para quem não é fuçador, não é uma boa opção mexer nesse sistema operacional. E lembrando que o Ubuntu dá bug e trava. Mesmo assim, apesar de não ser um SO perfeito, é infinitamente superior ao Janelas, pela qualidade gráfica, por ser livre, pelas facilidades de adquirir pacotes e instalação de drivers, além da excelente performance (velocidade) no processamento e transferência de arquivos na internet.

    Grande abraço.

  3. Mercuccio Says:

    Tenho o mesmo micro, porém com o Ubuntu 7.04. Ando bastante satisfeito, apesar de ter o mesmo problema de som e não conseguir ver os vídeos como Globo.com. YouTube vai redondo. Só de não me preocupar com vírus, já está pago!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: