A Cabala & Tristão Tzara

10 novembro, 2007

ao som de Choros No. 9 de Villa-Lobos

Tristan Tzara

Um dia, conta a História, o cara que viria a influenciar o corte de cabelo ridículo dos EMOs, estava num momento de ócio em sua casa, na bela Romênia, refletindo sobre as grandes questões do Universo: “Quem sou eu?”, “Para onde vou?” e “Aonde vamos almoçar?”. Ainda não havia, em sua época, o Principia Discordia, e nem outros livros de iluminação, muito menos a técnica do po do Papa Discordiano Robert Anton Wilson, porém, Tristão Tzara fez uso de sua glândula pineal, ainda que inconscientemente recebendo, assim, de Éris as instruções para a criação de um movimento nonsense, discordiano & inteligente; antecipando a técnica do po, correu até a sua Petit Larousse, abriu-a ao acaso* e fincou o estilete numa palavra, novamente ao acaso*.

O resultado, segundo a História, foi que, além de umas páginas cortadas, a palavra que foi fincada era dada. Essa palavra, em francês, significa “cavalo-de-pau”, porém sua utilização marca o nonsense do movimento.

Nisso se baseia o presente blog.

Cavalo-de-pau é uma manobra que exige habilidade do condutor, é impressionante, chocante; ao mesmo tempo, é um brinquedo infantil, o que revela (aparente) ingenuidade. E, num nível mais profundo, é nada, se pensando em significado claro, pois é dada, em francês.

A premissa básica do blog é exposta pela história narrada acima, na premissa eresiana, na falta de sentido, no discordianismo. Muitas das postagens serão, ao menos num primeiro momento de consolidação da Cabala, baseadas na técnica do po, inventada por Éris, descoberta por Tzara e redescoberta por Robert Anton Wilson, que lhe nomeou e publicou no livro “A Nova Inquisição”. Para aqueles que não a conhecem, procurem nesse blog: http://www.delinquente.blogger.com.br/

Quanto ao significado de “cabala”, o Principia tem a explicação: “Uma “Cabala […]” é exatamente aquilo que você pensa que ela é.” Para todo o resto, o Google explica.

Atentem aos próximos temas da Cabala ou morram tentando!

*Há dúvidas sobre o acaso aqui: se foi influenciado por Éris, é acaso? Pode ser, já que as influências eresianas são caóticas e caos, a priori, é acaso.

Errata: segundo o Rev. Wodouvhavox (http://pipa55.blogspot.com/), o criador da técnica do po é Edward de Bono. O RAW apenas a citou no referido livro. Desculpem! =/

Anúncios